Páginas

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Vida de "Pião"

Permitam-me falar um pouco da classe que mesmo integrante de nossa sofrida realidade dá o merecido colorido à sociedade. A vida do peão (popularmente conhecido como “pião”) é resumida em trabalho, mulher, futebol, cerveja e moda sertaneja, não nesta respectiva ordem, mas tudo bem.

Quando está se falando de pião é inevitável deixar de usar termos no aumentativo, pois ele já se auto designa: machão, fortão, gostosão... E assim como todo ser humano, o pião tem seus sonhos. Na infância: jogador de futebol, na juventude: ator pornô, na velhice: apresentador de programa de pescaria.

Uma das maiores alegrias do pião é de sexta-feira quando chega às quatro horas da tarde, pois é o horário que ele terá livre para bater traíra e ser picado por muriçocas.

Pião que é pião dorme com o bico de ferro e trabalha de “chinelão”. Quando vai a uma loja de calçados sempre leva botina, daquelas de ir ao shopping aos finais de semana. O pião quando não bate massa, pica cartão. Adora matar aquele “marmitão”, de preferência com muita farinha, ovo, arroz e feijão (lembrando que a salada fica pra diretoria).

Carro de pião é Fusca, Del Rei ou Passat. Quando a situação melhora, pega logo um “Opalão”. Porém, pião adora mesmo é um “buzão” lotado, pois é quando ele “encoxa” a mulherada sem ser notado. O pião também gosta muito de andar na moda, pra tirar a camiseta de político só se for por uma roupa de marca. Com o décimo terceiro troca o celular (por outro pré-pago) e põe TV a cabo (às vezes, não passa de um “gato”).

A vida do pião é cantar e assoviar, amanhece e escurece com a mesma música e, experimenta falar pra ele trocar... Nas férias vai à praia, enche a pança de cerveja e come porção de camarão. Descanso merecido para quem trabalha de baixo de sol quente e dorme no papelão.

Com todas as suas particularidades e malandragens, o pião se faz único, renovando a cada dia seus laços de amizade. Não há como negar, essa vida não teria graça se não tivesse o pião para estrelar.

5 comentários:

Dayane Soares disse...

hahahaha.

A parte do BUSÃO é fato. Meeeuu e como eu odeio. Essa minha vida de garota menor de idade, que não pode dirigir, tem que acabar.

Eu ri. Peão nunca fala "empresa" sempre FIRMA, e o palito de dente é quase tão essencial quanto o feijão do MARMITÃO, aliás não sei se tem sabor aqueles palitos porque não contentes em palitar o dente eles comem o palito. hahahaha.

(não generalizando, é claro).

Beijos Dom Juan.

Cintia Ferreira disse...

Cuidado com o preconceito Juan..não combina com vc! Todos temos o mesmo valor e eu sei que vc sabe disso.
A escrita ta ótema!


Bjoo!

Raiza Tronquin disse...

Concordo com Cintia Ferreira. Na Lupatech tem peão sim, mas eles não são considerados "peões" pelo fato de se portarem vulgarmente, conforme sua descrição, e sim porque existe uma desigualdade muito grande onde pessoas vazias precisam encontrar uma forma, um termo pejorativo para separar a produção da administração, o uniforme da camiseta pólo. Hoje, tendo contato direto com a peãozada de onde trabalho, consigo ver como eu era preconceituosa e como eles guardam seus próprios valores.

Abraço!

Thayla Ramos disse...

Juan, eu me diverti com a leitura pois sei que trata-se de uma ironia, afinal, conheço o seu lado "peão" (teu passado te condena hahaha). Mas acho que para não correr o risco de ser mal interpretado, o humor deve estar mais explícito no teu texto, se não soará apenas com uma crítica ou preconceito para quem está de fora.

Té mais!

Juan Piva disse...

É pessoal, não imaginava que o texto estivesse soando com ar de preconceito, pensava que seu humor e ironia pudesse ser compreendido mais facilmente. Contudo, vale ressaltar que já joguei no time dos "piões" por quase 6 anos, então ficou muito fácil para eu fazer essa "auto-descrição".
Minha paixão pela escrita é de conhecimento de todas as pessoas que já conviveram comigo, e nas duas firmas pelas quais passei não foi diferente. O "Vida de Pião" foi feito a pedido de meus próprios companheiros de trabalho e muitas das frases presentes nesse texto foram criadas em conjunto com eles. Sendo assim galera, para quem acha que estou julgando ou tentando ofender a classe que é literalmente a locomotiva do Brasil, desculpe-me, mas essa não é nem nunca vai ser a intenção, pois eu sou de fato um legítimo PIÃO! Abraços...