Páginas

domingo, 15 de agosto de 2010

Para que tanta exposição?

As redes sociais, blogs, bate-papos, fóruns e outros sites de relacionamento foram acessadas em maio por 87% do total de 37,7 milhões de internautas ativos no Brasil, de acordo com dados divulgados pelo Ibope Nielsen Online. Os internautas brasileiros também são o que passam mais tempo neste tipo de site - quase um a cada quatro minutos de navegação na internet.

Aproximadamente 83% das pessoas afirmaram utilizar o serviço por motivos pessoais. Mas o uso profissional não foi descartado, já que 33% dizem que utilizam as redes para trabalhar também. Entre as atividades desenvolvidas nesses ambientes, o envio de mensagem e a navegação têm 98% da preferência do usuário, enquanto que a atualização de perfil e conversação empatam com 76%.

Segundo a Nielsen, empresa que oferece serviços de mensuração e análise de dados de navegação na internet, o Facebook é o líder das redes de relacionamento no mundo, com 108,3 milhões de usuários únicos. No Brasil, entretanto, apenas 2% dos internautas visitam o site, enquanto o Orkut atinge 70% deles - a maior audiência doméstica conseguida por um site de relacionamento.

Orkut e Msn
No Orkut, o que predomina são as frase feitas: “Oi, tudo bem?”; “Pode add?”; “Só passei para desejar um bom fds/boa semana.”; “Tem Msn?”. Já no Messenger, as conversas são mais ou menos assim: “Oi, tudo bem? Tudo sim, e com você? Bem também. Quais são as novidades? Nenhuma, você tem? Não... Preciso ir, tchau. Tchau, até mais.” Mudam-se as palavras, mas a ideia é a mesma, em ambos os casos os diálogos não fogem disso. Mas qual será o motivo para na era digital as pessoas estarem tão frias e pouco entusiasmadas para se levar um papo realmente cabeça e produtivo?

Pensando nisso, refleti sobre amizade virtual nos dois principais sites de relacionamento do Brasil até o momento – Orkut e Msn. No primeiro, existe o “Orkut árvore de Natal”, no qual o usuário adiciona amigos somente para enfeitar sua página principal. Quando não, a pessoa cria o “Orkut Multinacional”, que por sua vez, considera seus amigos como se fossem meros números, e adiciona outros usuários Brasil afora somente para aumentar sua popularidade no site.

O Orkut também serve de ponte para o Msn (como mencionado nas frases feitas), pois é através dele que o “produto” pode ser melhor analisado - a partir de fotos. Se houver o interesse de uma conversa mais íntima, com direito até a chamada de vídeo, os novos amiguinhos virtuais migram para o Messenger, e o que vai se desenrolar por lá já não posso dar maiores detalhes, mas outros sites fazem o favor de divulgar as pérolas e fetiches de usuários que costumam se expor em uma webcam.

Para que se expor tanto?
Recentemente, decidi excluir todas as minhas fotos do Orkut, pois por incrível que pareça, elas estavam me afetando negativamente no âmbito social. Em qualquer lugar que eu ia, sentia a necessidade de reportar o momento através de imagens, porém, não pra mim, para os outros – queria fotografar para colocar no Orkut (que vergonha dizer isso, mas é verdade! E acho que muitos fazem o mesmo). Além disso, deletar meus ábuns do site foi uma decisão que também faz referência a uma forma de pensar muito particular minha – não quero encantar por fotos, mas sim, com minha forma de pensar e agir.

Para não ir muito longe, vou citar um exemplo que aconteceu há alguns dias atrás. Um estudante da minha faculdade resolver criar um blog para escrever sobre seus companheiros de graduação – ele, possivelmente, “roubava” as fotos do Orkut da pessoa, e a partir daí, fazia uma análise falando super mal de seus desafetos. Resultado: o blog ficou poucos dias no ar e seu criador já está sendo investigado pela Delegacia de Crimes Virtuais.

Nos sites de relacionamento também existem pessoas que sentem uma vontade louca de compartilhar com o mundo onde estão, o que estão fazendo e o que pretendem fazer. Confesso que acho isso muito estranho, pois até pouco tempo atrás estavam na moda os diários pessoais, que eram guardados a sete chaves pela pessoa, e nem os pais tinham direito de saber o que neles estava escrito. Hoje, o nickname do Msn e o Twitter fazem o favor de abrir sua agenda para quem quer e até mesmo quem não quer saber sobre sua vida. Aí eu me pergunto, para que tanta exposição?

Graduado em Processamento de Dados, Hemerson Ravaneda diz, em artigo publicado no site www.artigonal.com, que um perfil público na internet, em qualquer site de relacionamento, pode mostrar muito de você aos seus amigos, mas também irá mostrar ao mundo, o que faria de você uma presa fácil para criminosos. “Sabem seu nome, seus parentes, através dos comentários das fotos aprendem sobre seus hábitos, costumes e preferências, sabem seus horários, sabem tudo sobre você. E com um pouco de análise, cruzando os dados que você mesmo os deu, eles podem saber mais que você”, afirma.

Usando o Twitter como exemplo, será que todos os seus contatos desejam saber o horário que você acordou, o que comeu, se está embriagado, de ressaca, se vai na missa ou na balada, se está pra rua ou em casa? Será que vale a pena deixar o livro de sua vida aberto para mundo? Se abrir com uma pessoa que você conhece já lhe pode render muitas decepções, imagine então com quem está do outro lado da tela do computador e você nem sabe suas intenções e se o ser é mesmo real... É, aos poucos pretendo voltar no tempo, retrocedendo desses sites para o e-mail, do e-mail para o telefone e do telefone para o contato pessoal, quem quiser vir comigo beleza, quem não quiser me desculpe, mas não quero deixar de ser seu amigo e para me tornar seu paparazzi. E mais tarde, não venha me falar que sumi, pois se me conhece apenas pela internet, duvide se posso mesmo existir.

10 comentários:

Raiza Tronquin disse...

Que saudade da época que eu não tinha nem celular! Os amigos chamavam no portão quando queriam convidar pro "rolê". Fotos eram dignas de painel na parede, ao invés de álbum de orkut. É triste perceber o quão fútil a gente vai ficando, por mera influência. Gostaria que seu texto fosse lido por mais e mais pessoas que, assim como nós, optam pela era old school, mediante essa onda de "amizade artificial".

Hanna disse...

Nossa!
Parabéns Juan! vc escreve muito bem...
realmente pra quê tanta exposição?
Que saudade do tempo em que meus amigos vinham em casa saber como eu estava, ao invés de me mandar emails, ou recados..rs

bjooos...boa quinta feira!!!

Dayane Soares disse...

As pessoas, enquanto seres humanos, têm necessidade de compartilhar aquilo que fazem. Vivemos em meio a afazeres que disputam um instantinho das 24horas de cada dia. As redes de comunicação on-line vieram pra aproximar as pessoas, permitir que conversem, que contem as coisas, que sua amiga veja pela foto quem é aquela/aquele que você tanto fala, quem são seus amigos do trabalho, ou ainda rirem de um fim de semana que passou e foi muito engraçado. Então... veio pra aproximar as pessoas quando não podem, de fato, estar juntas. No entanto - como tudo nessa vida - há um contraponto, toda essas redes sociais e mecanismos de comunicação virtual, substituiu o contato pessoal e veio alimentando além disso e expressão de sentimentos cara-cara, o sedentarismo e o vicio. Sim, quando de facilitador, o uso das tecnologias se torna "vicio" é que vêm as tais frases feitas, o tudo mais artificial, chato. A pessoa sente necessidade de entrar no orkut, por exemplo, e deixar lá um "só passei pra desejar bom fim de semana" como vc citou. É simpatico e tudo o mais, mas depois de umas
quinze mensagens dessa e só isso, percebe-se a automaticidade do ato muito mais do que a espontaneidade, e piora ainda quando a pessoa passa do teu lado na rua e nem cumprimenta.
Ah e até mesmo nos aplicativos, joguinhos e etc que vem sendo adicionados aos sites de relacionamento, percebe-se a necessidade do ser humano, de compartilhar as coisas, nenhum desses joguinhos tem resultado oculto, só pra que vc veja, pelo contrário todo resultado é publicado pra que todooos vejam. Mas não é condenável isso, eu entendo a necessidade das pessoas, até porque ela é minha ás vezes (rs - não a necessidade de jogar pra que vejam, mas a de compartilhar coisas), e estes dominantes sites têm também mecanismos pra que quem não queira ver e contribuir com necessidade do outro, rs, desative essa opção. No caso twitter dá-se um "unfallow" pra não ver as ressacas alheias. rs

Assunto poleeemico jornalista.
Um de seus melhores textos, em minha singela opinião.

Bjos.. Dom Juan.

Dayane disse...

Ahh..

Esses sites de relacionamento muito me ajudam no trabalho pastoral, no movimento estudantil e etc. rs Gasto menos telefone e otimizo tempo, hehe.

evy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
evy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
evy disse...

Bem como ja diz a frase de César Nascimento " Quem se define se limita"

Bom de fato msn e orkut são ferramentas uteis, mas o fator discutido aqui vai alem disso, acredito que sejam ferramentas que de certa forma une as pessoas.
Mas que muitas vezes apagam a importancia de um contato fisico.Nós temos uma visão de amigos que visitavam em casa , mantinham contato pelo telefone.
Mas eu me pergunto e essa nova sociedade de crianças e pré-adolescentes que são praticamente criados pelos orkut.Por que querendo ou não existe sim um ponto positivo e um ponto negativo, mas acredito que no momento em que uma jovem de 15 anos começa a ter problemas em suas reaçoes afetivas e familiares, no momento em que o estatus namorando ou solteiro vira modinha , onde todos os dias você expoem com quantos ficou, quanto você bebeu, os lugares que foi ,quando o perfil da web de define, esse é um problema a ser discutido.
Excluir alguem do seu orkut hoje eo mesmo que dizer [ Nao quero voce na minha vida ]
É tanta futilidade , tanta manipulação, pessoas que nem se quer convivem com você e acham e se tem o direito de falar que realmente te conhece.
Os relacionamentos a paquera perdeu o brilho, ja que na segunda conversa de msn o menino ja fala que ta afim de você.
Dificilmente existe um dialogo, e jamais se compara com uma conversa frente a frente.
Se o orkut é saudavel ou não , acho que depende do ponto de vista.
Mas a Cada dia que passa, namoros , e pessoas que poderiam ser o diferencial , viram xerox.
Ea personalidade unica que poderia ser diferencial, tornam-se meras frases copiadas.

Juliano Schiavo disse...

Vivemos numa sociedade em rede, onde as relações pessoais são líquidas, sem forma. É triste e parece que não tem volta.
Parabéns pelo texto.

Hemerson Ravaneda disse...

Caro Juan...

Parabéns pelo Blog e obrigado pela citação.

Só para esclarecer, não sou contra os sites de relacionamento, nem contra as redes sociais. Só prego o cuidado, ja que o que é lançado na internet, esta disponível a todos, não só a quem queremos.

Grande Abraço

Lilian disse...

Este texto vem nos lembrar de como antigamente era gostoso. Quando tudo era reservado. as coisas eram mais simples, hoje um exposição em algum site de relacionamentos pode acabar com seu relacionamento ou amizade.
Eu gosto mais dos tempos antigo