Páginas

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

"Os Caminhos do Transporte Coletivo"

Como é a situação do transporte coletivo na sua cidade? Antes de responder esta pergunta, você já pegou um ônibus no horário de pico ou teve de esperar horas por um coletivo de baixo de sol ou chuva? Faço estas indagações porque um estudo divulgado na segunda-feira (24), em São Paulo, pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), conclui que a qualidade do transporte público é ruim para 19,2% da população brasileira e muito ruim para 19,8%. O porcentual de insatisfeitos, portanto, chega a 39%. Por outro lado, 26,1% veem o transporte público como bom e apenas 2,9% o consideram muito bom, em um total de 29%. Ele é regular para 31,3%.

O presidente do Ipea, Marcio Pochmann, disse para o Estadão que “este estudo serve para chamar a atenção para a inadequação desse modelo", referindo-se à priorização do transporte individual em detrimento do transporte coletivo. "Há espaço para o avanço das políticas públicas”, ressaltou Pochmann.

Na Região Sul estão os mais satisfeitos com o transporte público: 44,9% o consideram bom ou muito bom e 23,5% o acham ruim ou muito ruim. Já na Região Sudeste se encontram as opiniões mais negativas: apenas 24,5% o veem como bom ou muito bom e 45,9% o consideram ruim ou muito ruim - este número é muito próximo ao da Região Norte: 45,8%.

O levantamento mostra também que uma em cada quatro (26,3%) pessoas no País vive em cidades em que não há integração entre meios de transporte. Não usam a integração, apesar de ela existir, 27,5%. Dentre aqueles que a utilizam, 33,2% o fazem trocando de um ônibus para outro. Depois, a mais frequente é a troca de um ônibus para o metrô: 4,9%.

O estudo aponta que, quanto mais escolarizada é a pessoa, mais crítica ela se torna em relação ao transporte público. Ele é bom ou muito bom para 34,9% das pessoas com até a quarta série do ensino fundamental - 22,5% o acham ruim ou muito ruim. Já para quem tem ensino superior incompleto, completo ou pós-graduação, 20,1% o consideram bom ou muito bom e 36,9% o acham ruim ou muito ruim.

A pesquisa do Ipea, chamada de Sistema de Indicadores de Percepção Social: Mobilidade Urbana, ouviu 2.770 pessoas em todos os Estados do País e utilizou a técnica de amostragem por cotas, a fim de garantir proporcionalidade no que diz respeito à população. A margem máxima de erro por região é de 5%.

Ainda segundo o estudo, 44% dos brasileiros se locomovem de ônibus. Em segundo lugar aparece o carro, com 23,8%, seguido por motocicleta, com 12,6%.

No final de 2010, tive que produzir uma “reportagem especial” para a disciplina de Radiojornalismo, na faculdade. Discutindo com os outros integrantes do grupo, decidimos falar sobre o “transporte coletivo”.

Foi então que saiu a série de reportagens "Os Caminhos do Transporte Coletivo", produzida pelos alunos do ISCA Faculdades - Carlos Giannoni, Diego Rodrigo, Gerson Américo, Juan Piva e Leandro Tetzner.

Aperte o “play” dos áudios que seguem abaixo e escute o que têm a dizer passageiros, autoridades e funcionários das empresas de transporte público das cidades de Limeira, Americana e Araras.











Com informações da Agência Estado, matéria do repórter Renan Carreira.

2 comentários:

Dayane Soares disse...

É um insulto a população sistemas de transporte coletivo de tão má qualidade. O pobre, que tem baixa escolaridade, que anda de onibus em todos os horários de pico possíveis na face da terra, pagam muitos impostos, estes, que deveriam de alguma forma ser investido nisso. Seja o transporte feito por empresa privada ou não. Sei la como são os tramites legais, a população precisa de seus direitos MINIMOS de QUALIDADE, não um sistema porco como este. E nem vou falar da taxa de transporte que é altissima, além dos impostos o vale transporte a valor de outro pra um serviço porco, repito.

Os audios não estão funcionando.

Dayane Soares disse...

** o vale transporte a valor de OURO ** (escrevi errado)